Os Pequenos Jornalistas
Pesquisa

O atraso
Por Maria Teresa Portal Oliveira (Professora), em 2016/11/17644 leram | 2 comentários | 106 gostam
Este é um texto escrito pela Inês Silva do 5ºC.
A turma estava admiradíssima. O Pedro ainda não tinha chegado.
- Alguém sabe do Pedro? – perguntou a professora.
Ninguém respondeu…
Passado um instante, a Rita afirmou:
- Deve ter adormecido!
- Que irresponsável! – exclamou a professora já preocupada.
A professora era alta com o rosto um pouco arredondado. Tinha cabelo castanho claro, olhos azuis e as suas mãos magras tinham sempre um anel a combinar com a cor da saia e da blusa.
Era simpática e atenciosa, gostava muito de colares, mas para espanto dos alunos raramente os usava.
Repentinamente, ouviu-se um tímido “toc.toc.”. Era o Pedro.
- Pedro, o que se passou, por onde andaste? – perguntou a professora.
- Fui ao dentista e não pude avisar, professora! – respondeu ele.
Quem não acreditou em nada do que ouviu foi a Rita.
A Rita era uma menina muito afável, logo tinha muitos amigos. Era elegante e tinha cabelos compridos. Usava quase sempre vestidos às bolinhas.
Os dois namoravam e tudo começou num dia de chuva, quando a Rita ia escorregar numa poça de água e o Pedro lhe amparou a queda.
A Rita, com as mãos trémulas, a respiração ofegante e os olhos a faiscarem, rasgou um bocado de papel e escreveu:

                       Está tudo acabado entre nós!
                       Podes ficar com aquela lambisgóia!
                Rita

Ela pensava que o Pedro tinha andado a namoricar com a Mariana, a rapariga mais atrevida da escola.
O bilhete demorou bastante tempo a chegar ao destinatário, pois a professora estava muito atenta.
Mal a professora se virou para o quadro, o bilhete voou rapidamente para a mesa do Pedro.
Ele abriu-o e leu-o com atenção. Quando acabou de o ler ficou boquiaberto e atrapalhado.
Entretanto, a aula terminou.
O Pedro foi, imediatamente, ter com a Rita.
- Rita, Rita! – chamou ele.
- O que é que tu queres? Não entendeste o bilhete?! – exclamou ela muito chateada.
- Ouve! Eu fui ter com a Mariana para me ajudar a escolher um presente para o teu aniversário! – disse ele.
E continuou…
- Era para ser surpresa, mas se eu não te contasse tu não acreditarias.
- Desculpa! – disse ela envergonhada.
- Não faz mal! – exclamou ele muito compreensivo.
Reconciliaram-se e prometeram que nunca mais desconfiariam um do outro.
De mão dada, os dois deram um alegre passeio pela escola.


Comentários
Por Maria Marques (Aluna, 5ºC), em 2016/12/10
Muito bonito.
ADORO!!
:-]
Por Leonor Silva (Aluna, 9ºB), em 2016/12/13
Parabéns Inês!
É bom ver que as meninas do 5º ano já começam a escrever metaforicamente como têm vindo a aprender no jornalismo, juntamente connosco, alunas do 9º ano.

Escreva o seu Comentário